Metroid: Fusion - Gba

15:08:00 , , 0 Comments



Hello Retrogamers!! Eu tenho ficado um tempo sem jogar nada, mas um game conseguiu me tirar desse deserto que me afligiu por um bom tempo...

Adoro Exploração nos jogos, e o ponto mais forte na série Metroid é exatamente isso, a exploração. Tenho aqui o Super Metroid para o Snes e acabei parando de jogar por preguiça de destravar de uma parte que eu tava travado (fui olhar a fita hoje e perdi o save T.T).

Mas vamos ao que interessa, vamos ao que interessa! Eis que hoje irei falar sobre a continuação direta do Super Metroid, que veio a ser lançado depois de uma longa espera..

A série Metroid já havia recebido um jogo para um portátil antes, normalmente os jogos lançados para portátil são histórias paralelas e não influenciam muito na fluides dos demais jogos de mesa, mas isso não veio a ocorrer com Metroid. O jogo fora lançado primordialmente para o Nes, onde fez um grande sucesso (por causa da protagonista feminina e também porque ela aparecia de biquini no final [mas não só por isso né hehe']). 




Depois de longos 5 anos um outro jogo foi lançado para o Game Boy, chamado Metroid II: Return of Samus, onde não é necessesário coletar itens ou explorar, era apenas localizar os Metroids e destruí-los. Esse fora um jogo que poucos tiveram oportunidade de jogar para poder acompanhar  a história.

Apesar dessa estranha escolha (usar um portátil para fazer um continuação direta do game), a nintendo ainda investiu, mais a frente, em outro portátil... o Game Boy Advanced! 

Simplesmente um dos melhores jogos do Metroid (Nunca tirando o Super Metroid do primeiro lugar). Todas as qualidades do Super Metroid foram recolocadas aqui e ainda tiveram ótimos upgrades, tanto na jogabilidade quanto na parte gráfica do jogo.

História




Samus é contratada por um grupo de cientistas para poder fazer a escolta deles. A missão é ir até o planeta SR388 (antigo planeta dos Metroids) para pode ver como está o desequilíbrio ambiental causado pela extinção dos metroids. Samus começa a expedição e encontra um "hornoad" e destrói ele, sendo que ao destruir, uma outra criatura aparece, uma desconhecida por ela, Samus tenta destruí-la mas acaba sendo atacada.

O nome desse vírus é "X", e ele acaba invadindo o sistema nervoso de Samus fazendo a desmaiar durante sua volta para o QG dos cientistas, sendo salva por eles logo em seguida.

Uma luta contra o tempo para pode salvar Samus começa, cada minuto que se passa mais e mais o vírus se espalha e piora a situação de Samus. As partes organicas ficam tão ligadas ao traje de sua roupa que foram necessária cirurgias para poder remover certas partes do traje. E nessas mudanças do traje, ele ficou mais colado ao corpo parecendo ser um material orgânico e muito resistente.

Descobriram com alguma pesquisas que os Metroids eram os predadores desse vírus, com a  ausência deles o vírus se triplicou e não para de crescer. Eles usaram uma amostra retirada do metroid que Samus havia salvado anos atrás e conseguiram anular os efeitos do vírus.




As amostras recolhidas e partes do trajes da samus foram enviados para a B. S. L. (Biological Space Labs/ Laboratório Biológico Espacial). Ao se recuperar dos fatos ocorridos Samus é informada que houve uma explosão ocorrida na B.S.L. e que era pra ela ir lá averiguar e ver o que realmente estava acontecendo.

Apartir deste momento que o jogo começa, Samus é monitorada pelo seu novo computador da sua nave chamadas de Adam (que também é o nome do personagem que ela vem a se apaixonar na história do jogo). 

O Vírus é capaz de copiar qualquer forma de vida que ele já tenha infectado, e com Samus não seria diferente, assim descobrindo que o que causou a explosão era o vírus que estava no traje dela, e copiou todas as habilidades dela, chamando-o de SA-X.

Metroid Fusion foi o último jogo da franquia a continua com o modo side scrolling de exploração, os próximos jogos todos vieram ser em 3D (Metroid Prime para o game cube).Sendo também o mais bonito e colorido nesse estilo, Fusion mostra certas cenas que parecem ter vindo de um desenho animado ou alguma HQ. As cores foram usadas com abundancia, ficou bom, mas tirou um pouco da atmosfera sombria e da solidão que acompanhava os jogos anteriores.

Muitos segredos estão escondidos nas paredes e no chão, fique sempre atento para essas observações especiais!Por que se você é um gamer que quer fazer tudo 100% vai ter bastante trabalho... hehe'

Leonardo Soler

Retrogamer nas horas vagas. Mantém o Game Genius desde 2010 onde a internet ainda não tinha nem luz eletrica. Fã dos Power Rangers (até o PR no espaço). E é complicado o que é melhor, Final Fantasy VI ou Chrono Trigger. Google